sexta-feira, 6 de maio de 2011

Watchmen e outras histórias

Comprei-o há um par de meses em Londres. Por impulso, sem pensar muito. Tem sido assim que me aconteceram algumas coisas boas. Como era para oferecer - talvez, quiçá, sem pensar muito -, não o li. Não lhe queria quebrar a capa dura.

Hoje escarrapachei-o ao meio. Afinal é meu, já o posso estragar. Embora tenha muito respeito pelos livros, não me importo nada de os ter estragados. O Retrato de Dorian Gray, por exemplo, tem areia e água do mar e o Kim do Kipling, arranhado, cheira a pinho da minha casa na Alemanha. O que perdem em estética ganham em paratextualidade. Contam mais uma história para além da que está dentro.


9 comentários:

estela disse...

gosot de quem gosta assim de livros :)

estela disse...

*gosto*

Joana Banana disse...

a minha versao de watchmen por acaso é de capa mole. é um dos meus top books, e digo top 5 por exemplo, e andou cmg sempre pra todo o lado :)

e eu gosto tanto dele q tenho um cracha igual ao do comediante.

Mafalda disse...

i agree! :)

K disse...

:) um das mais bem escritas bandas desenhadas de todossssss os tempossss.o filme e coco.

Wiwia disse...

Estela,
Obrigada.

Banana,
Se soubesse que ia ficar para mim também tinha comprado a capa mole. Se nao andar comigo para todo o lado dificilmente o acabo.

K.,
Filme e côco? A que propósito vem isso?
:)

Wiwia disse...

Mafalda,
Com qual das partes? Ficar para mim ou vandalizar livros?

K disse...

tao engraçadinha;)
desculpa..agora com acentos: o filme é cócó.

Nawita disse...

Wíwia,

como te compreendo, por isso não consigo largar os meus livros, nenhuma outra cópia me diz o mesmo que as minhas.
O cheiro, a textura, as manchas, por vezes areia, folhas de árvores, bilhetinhos, pequenas anotações, o todo acumulado durante os anos em que tenho o livro e que o leio e releio, autênticos baús de experiências renovadas, novas sensações, ideias e lições retiradas.