domingo, 14 de agosto de 2011

Só um arranhão.

O silêncio nesta casa é muitas vezes ensurdecedor. Hoje ainda não liguei a música.

É para me ouvir melhor.

Mudar de vida assusta. Fui eu que quis, é certo, despedi-me e voltei a despedir-me depois de uma contraproposta com cargo bonito e tudo. Eu sei. Agora espero. Às vezes dou por mim a desejar ter que mudar de cidade por um emprego. Por uma vez, uma mudança drástica vinda de fora. Já me auto-infligi tantas.

Convenci-me ao longo da vida de que gosto de mudar. Confesso que hoje não sei se é gosto ou tique ou fuga. A familiaridade assusta-me quando não gera contenda.

No meio de tudo isto, consola-me saber que, coerentemente, amanhã a minha opinião já mudou e acordar em silêncio vai-me parecer o éden.

7 comentários:

Indieotta disse...

let´s go for a walk :)

Wiwia disse...

Olha este a mandar-me passear.


:)

clara disse...

Foi o que eu fiz ha 9 meses.
E estou tão arrependida. É mais dificil do que parece.

Wiwia disse...

Clara,
Não me leves a mal mas estou a tapar os ouvidinhos. *Lalalalalalala...*
:)

Calíope disse...

Eu acho que as mudanças quando são de fora para dentro vêm pé ante pé, depois batem à porta suavemente, a seguir tocam à campainha e se continuarmos a fingir que não é nada connosco partem para a violência e arrombam-na. E normalmente têm razão de se impor, pois trata-se de burro para cavalo.

Nawita disse...

Já há algum tempo que não tinha vontade de te bater depois de ler algo teu.

Também gosto de mudanças, aproxima-se aí uma no final da semana e estou ansiosa, apesar de ainda não ter empacotado nada.

clara disse...

Não levo nada a mal.
Cada caso é um caso. E há historias de sucesso. A minha não é, mas talvez seja a excepção.