terça-feira, 19 de julho de 2011

Uma pergunta e uma musiquinha para enfeitar

Até que ponto mudar o sítio onde se vive é mudar de vida? Às vezes parece-me muita parra.

18 comentários:

disse...

podes mudar de vida, mas não podes mudar de roupa interior, se é essa a tua questão. para alguns isso será um bocado badalhoco.

Wiwia disse...

Obrigada, Zé. Era exactamente essa a minha dúvida. Aliás, cheguei a escrever "a merda é a mesma" mas depois safei.

Nawita disse...

Subscrevo os comentários, ambos os dois :D

só alguém muito desorganizado é que não se livra das merdas quando muda de casa, casa nova merdas novas, é o que eu nunca digo, mas acho que fica bem aqui.

quanto à vida, essa continua a mesma na maior parte das vezes.

Nawita disse...

apesar de ter ficado com vontade de serrar os pulsos com a faquinha de serrilha em plástico que tenho na gaveta da secretária, devo dizer que, dentro do género, gostei muito.

Calíope disse...

Olha tenho uma boa resposta para ti (acho eu). Um dos meus informantes respondeu à questão "Qual é a sua definição de ser emigrante?" com uma única palavra: liberdade. Depois passou a explicar que mudando o sítio onde se vive tem-se a liberdade de se começar de novo sem preconceitos (próprios) e expectativas (alheias), mas claro que essa mudança toda depende mais do próprio do que do sítio :) o sítio acaba por ser só uma desculpa.

o anão gigante disse...

Mudasti? O sítio de local? Trabalheira.

Wiwia disse...

(Vocês são espectaculares, respondem mesmo às perguntas. E não estou a ser irónica. Pela primeira vez este mês.)

Nawita,
É natural que fiques triste com a ideia de eu ir embora, mas também é escusado serrares os pulsos. Vá, então.

Calíope,
Exacto. Uma desculpa. Pela lógica seria possível fazer exactamente o mesmo sem mudar de sítio.

Anão,
Eu permito-te tudo. Tudinho. Menos "mudasti" e "caray". Isso não. Debaixo do meu tecto não.
Agora vai para o teu quarto.

Nawita disse...

O pó que andaste a comer no SBSR fez-te bem :p

estou neste momento a ouvir isto:

http://www.youtube.com/watch?v=OpQ8uUcKPvM&feature=autoplay&list=PL15787AB8532318FE&index=8&playnext=3

Mafalda disse...

Mas para onde vais??? Quem mudou afinal??? O que é que tu não me contaste?

p.s.: Tenho comentário pa ti no meu blog

o anão gigante disse...

Já mudasti os lençóis?

Wiwia disse...

Nawita,
Vou evitar tecer considerações sobre o bem que faz ingerir pó.
Mas sim :) E os Iron Maiden, que tal?

Mafalda,
Calma, bichinho :) Quando houver novidades a sério saberás. Este blogue é totalmente ficcional.

Anão,
Ia jurar que te tinha mandado para o teu quarto. *whiplash*
(Tu não tens uma palavra que detestes visceralmente? Não?)

Lima disse...

Mas o que se passa aqui?
A vida é de quem a vive, e cada um sabe de si... O que nós podermos pensar acerca dos outros é irrelevante para a vida destes. Se é melhor ou mesmo diferente, mas o que interessa isso para a humanidade?!
Muitas vezes opinar sobre a vida interior e exterior dos outros têm que se lhe diga, é melhor cada um olhar para si mesmo, pois muitas vezes estes são aqueles que mais têm que arrumar o interior/exterior de si mesmo.
Oh gentinha, preocupem-se com o que têm que se preocupar e deixem os outros viver a vida, deixando a merda de jogos, a vida e a casa de cada um.

Nawita disse...

Não querendo falar mal de ninguém, parece-me que o/a Lima anda meio azedo/a, de tal forma que até sofre da vista.








Dúvida: mas então já não são os outros que validam a nossa existência? agradecia resposta pois ando a pensar mudar de vida, porque esta já não me agrada, está desbotada, mas não quero ferir ninguém nem escolher uma vida que desagrade aos outros.

Wiwia disse...

*pipocas*
(finjam que nao estou aqui)

Lima disse...

A resposta tão desejada para a Nawita aqui vai: Em primeiro lugar o/a Lima não é azedo/a nem pouco mais ou menos, gosta simplesmente de estar de bem com a vida e em paz, e esta é bastante colorida e bonita para se desbotar e deve ser vivida intensamente... As pessoas que gostam de nós aceitam-nos tal como somos, e nunca por isso mesmo ficam desiludidas ou feridas com as nossas atitudes, até pelo contrário, dão-nos colinho, mimos e apoio sempre que necessário.

Nawita disse...

Lima/o,

:)

foi só um dia mau, portanto.
Também gosto de estar de bem com a vida e paz e amor. Vai uma tequilla?

Isso do aceitar conheço bem, desde que me conheço que só faço o que quero e sempre tive a minha família presente, sobretudo nos tombos, somos uma família de malabaristas, corações sempre no ar, há sempre alguém que os impede de cair.

Aqui não se estava a falar em mudar de vida para agradar aos outros, era mesmo por e para nós. Pelo menos foi o que eu percebi, de todo o modo não concebo mudar de vida para agradar aos outros, isso dá trabalho e eu sou muito egoísta.

Indieotta disse...

Ah grande Lima carai!

estela disse...

looooooool

ah e, respondendo à pergunta: é muita parra! mas não é com ela que se faz o vinho ;)